Crie gifs animados gratuitamente – Dicas de recursos online

Os gifs ultrapassaram barreiras e ganharam espaço como ferramentas de comunicação e arte, dentro de diversos contextos.

Confira algumas dicas de sites para criar seus gifs gratuitamente, sem precisar instalar nada:

GIPHY

É possível criar gifs animados a partir de arquivos de vídeos e links de YouTube, combinar fotos e gifs por meio da opção “slide show”, adicionar títulos e textos animados, além de editar gifs.

Make A GIF

Fácil de usar e bem dinâmico. Você pode buscar por gifs para ilustrar seu texto e suas ideias ou, se quiser criar seu próprio gif, basta escolher a opção de “Create a gif”, adicionar as imagens, escolher a resolução e velocidade. Para criar gifs em HD, deve aderir à versão Premium.

Gickr

Converte vídeos do YouTube em imagens animadas, adiciona fotos do Flickr e gera gifs com muitas imagens. Pode selecionar o tamanho das imagens até 450px e também escolher a velocidade da animação. Mas lembre-se: as imagens do gif devem se conectar e ter uma ordem que faça sentido.

Gerador de Gifs

Interface simples. Basta enviar as imagens, selecionar  o tamanho (largura x altura) e duração do gif. Para adicionar mais imagens, adicione “mais frames”. Depois, é só clicar em gerar gifs!

IMgFlip

Para criar animações personalizadas a partir de seus próprios desenhos ou clipart, ou conectar quadros que você extraiu de um vídeo. Gifs animados de alta qualidade, com muitas opções de personalização e sem limite de número de imagens. Atualmente, o fabricante de gif suporta imagens PNG, JPEG e GIF. Por padrão, a qualidade é definida como 10 (pior) para que os GIFs sejam criados mais rapidamente. Você pode tentar mudá-lo para 1 (melhor), mas demorará um pouco mais para criar. Para gifs de maior qualidade, é preciso assinar Imgflip Pro! 😉

Perseverança, criatividade, profissionalismo e tradição

Gostaria de agradecer a  receptividade e colaboração do Sr. Danilo Savassi e e Desireé Savassi, entrevistados para essa matéria.

http://www.amipao.com.br/revista/revista_agosto_2012.pdf

Matéria publicada na editoria livre da Revista Amipão 103 – Redatora Freelancer – Nanda Soares

8 de julho – Dia dos Panificadores. Aproveitamos para fazer uma homenagem e trazemos a história da Padaria Savassi

Que maravilha começar o dia com aquele cheiro de pão fresquinho, saborear um alimento tão cheio de histórias e feito a mão. Dia 8 de julho é o dia do panificador. Dedicamos toda a nossa admiração a estes profissionais que trabalham incansavelmente há décadas para trazer à tona este produto que tanto nos apetece.

Essa antiga atividade é muito mais representativa do que se possa imaginar. A história do pão e do padeiro está presente na trajetória da humanidade. Há milhares de anos a.C, o pão já era produzido, mas com o fruto do carvalho triturado. As farinhas e demais ingredientes vieram depois, para agregar sabor e qualidade. Os egípcios são considerados os primeiros povos a utilizar fornos para assar pães. Hoje, a atividade se desenvolveu pelo mundo e o pão ganhou cada vez mais espaço e valor na nossa mesa. Segundo o sociólogo e antropólogo Gilberto Freyre, o Brasil conheceu o pão apenas no século XIX, e antes disso consumia-se o beiju. Foram os imigrantes italianos que expandiram a atividade panificadora pelo país, proliferando padarias com delícias típicas. A padaria Savassi é exemplo disso, já que faz parte desse evento. A Família Savassi veio da Itália para o Brasil em 1890, instalando-se em Barbacena e depois em Belo Horizonte.

Falando sobre as qualidades e importância de um bom panificador, Desirée Savassi, também sócio-proprietária da padaria que leva seu sobrenome, ressalta: “É preciso ter visão, estar sempre ligado às inovações, receitas, maquinários, tecnologias e tendências”. Ela faz parte da nova geração que perpetua o negócio, que é atualmente administrado pelos Savassi Márcia, Alessandra e Fernando.

O sócio-proprietário Danilo Savassi, no auge dos seus 89 anos de idade, relembra com orgulho alguns fatos marcantes da história desse empreendimento que se mistura à sua vida e de seus familiares. Ele conta que em 1916, Arthur Savassi, seu tio-avô refugiado da Primeira Guerra Mundial, montou a Padaria Nova Capital, uma das primeiras com entrega de pães na cidade. Seu pai, Hugo Savassi e o seu tio Juca (José Guilherme Savassi), trabalhavam no estabelecimento. Eles ganharam experiência e gosto pela cultura do pão, inaugurando, em meados de 1940, uma padaria na Praça Diogo de Vasconcelos, antiga Praça 13 de Maio.

Danilo nos fala de alguns detalhes interessantes e revela que o nome do empreendimento levaria o nome da praça, mas seu pai foi convencido a usar o sobrenome para se diferenciar. Eis que nasce a Padaria & Confeitaria Savassi. Segundo ele, começaram com 12 sacos de farinha por dia só no balcão; e cada saco dava 1.200 pães. Eram muitos pães por dia. O sorvete de leite do Raimundo também ficou famoso por lá e atraia a clientela.

Em 19 de agosto de 1942, a padaria foi arrasada num dos ataques a estabelecimentos de imigrantes durante a Segunda Guerra Mundial. Danilo diz: “um dos momentos marcantes da minha vida, depois de ter conhecido a minha mulher, foi a reabertura da Padaria 10 meses após terem saqueado, quebrado e queimado nosso negócio. Nós renascemos”.

“A padaria foi um sucesso. Instituímos um pequeno supermercado. Era diferente. Meu pai fazia o pão junto com o Juca e eles tinham um segredo que o tornava crocante, parecendo um biscoito. Assim nasceu a nossa Savassi e, com a Savassi, uma grande turma. Eu e alguns acadêmicos, de 30 a 40 rapazes, ficávamos ali na praça até meia noite e tantas. O local começou a pegar o nome de Praça da Savassi e acabou virando referência. Com o desenvolvimento da região, as casas residenciais foram se tornando comerciais e não havia mais onde estacionar e nem famílias para quem vender. Surgiram vários prédios comerciais. De 12 sacos de farinha, diminuímos para dois. Tínhamos outras entregas para os hotéis, mas precisávamos dar um jeito”, comenta Danilo.

A Padaria Savassi permaneceu na Praça até 1975, época em que se mudou para a Rua Rio Grande do Norte.

Para prosperar num determinado segmento, assim como na vida, é preciso ter perseverança, criatividade, profissionalismo e valorizar as raízes. Desireé Savassi incorpora esses princípios e diz: “A nossa essência é traduzida pela tradição de família. O nome da Padaria, que é o nosso sobrenome, deu título a uma das mais nobres regiões de Belo Horizonte e, as experiências de nosso pai (Fernando Savassi), avô (José Guilherme Savassi) e primo (Danilo Achiles Savassi) nos ensinaram a aproveitar as oportunidades. O nosso diferencial é atender a um nicho de mercado outrora pouco explorado e que não recebia a atenção devida. Hoje criamos produtos novos e diferenciados, visando atender empresas, hotéis, lanchonetes, restaurantes etc. Fornecemos coffee break e também atuamos em eventos”.

Agora em uma nova fase, a padaria está se reconfigurando. Será montada uma central de produção que deve ser inaugurada ainda no segundo semestre de 2012. Os produtos também poderão ser adquiridos na Rua Aimorés, n º 2017, no famoso Bairro de Lourdes.

A Padaria Savassi deixa sua mensagem:

“O nosso cliente e os nossos funcionários são os nossos maiores tesouros. Em tantos anos de mercado, só temos a agradecer, pois, são com vocês que aprendemos a nos transformar, a superar os constantes desafios e viver uma vida de grandeza – em casa, no trabalho e na comunidade. Aos panificadores, damos a nossa dica: determine uma meta e planeje, planeje e planeje! Não acredite que tendo tradição, seu mercado estará garantido. Inove, atualize-se, seja forte em sua caminhada pelo tempo. A vida é um ato constante de lutar. Orgulhe-se do seu passado quando você contempla, no presente, os frutos do seu trabalho. O que conquistou é seu, é fruto do seu querer e do seu esforço.”

http://www.amipao.com.br/revista/revista_agosto_2012.pdf

Matéria publicada na editoria livre da Revista Amipão 103 – Redatora Freelancer – Nanda Soares

A voz do cliente é o termômetro do negócio

COMUNICAÇÃO ESTÁ EM TUDO! 

Saiba como ouvir o seu cliente e tenha o feedback necessário para o sucesso do seu empreendimento

Quem nunca ouviu dizer que o cliente tem sempre razão? Essa antiga expressão gera controvérsias, mas, se concretizada da maneira certa, pode ser a chave do sucesso. Afinal, quem compra o seu produto ou serviço pode fornecer informações valiosas para a manutenção e o crescimento do seu negócio.

Antes de tudo, é preciso entender que saber ouvir é uma atitude que beneficia não somente na criação de estratégias de marketing e vendas, mas é algo primordial para gerar bons relacionamentos e conquistar a confiança do consumidor. Valorizar a voz do cliente significa estar atento a diversos fatores que influenciam diretamente na imagem e no desenvolvimento do empreendimento.

Os clientes são grandes disseminadores de opinião. E atualmente, além das informações boca a boca, a internet é uma grande aliada no momento de divulgar o que se pensa sobre determinado produto, atendimento, decoração, limpeza, preço, qualidade e organização. Com isso, faz-se necessário que a captação de feedback (retorno sobre o que os clientes pensam) seja constante e real. Não se pode fazer uma pesquisa e considerar apenas os bons resultados: é preciso olhar os dados e deles extrair o que tem dado certo ou errado, o que precisa ser mantido ou modificado. E as mudanças não ocorrem apenas para melhorar ou suprir algo, podem vir para surpreender e instigar novas experiências e sensações. Quem sabe até mesmo conquistar e fidelizar aqueles potenciais clientes que só passam de vez em quando, por exemplo.

Um confeito diferente, promoções especiais, novidades da casa, um atendimento diferenciado, o serviço exclusivo ou simplesmente a textura do pãozinho que só se encontra ali podem ser motivos para ter o retorno daquela pessoa mais exigente. Mas, se aquele serviço, que antes atraiu a freguesia, perder a qualidade, abre-se brecha para um afastamento e migração para outro estabelecimento, outra marca, outro atendimento. Lembre-se de que um cliente encantado e satisfeito é uma excelente fonte e meio de propaganda. Ele é o termômetro do seu negócio. E, para cuidar da saúde do seu negócio, é preciso entrar em atividade e buscar vias para desenvolver-se.

Comunicação, vínculo e monitoramento

Flávio Tófani, consultor de Marketing e coordenador do curso de Pós-Graduação em Gestão de Marcas e Identidade Corporativa da PUC Minas, comenta sobre a importância de criar vínculos de confiança e dar voz ativa ao seu público. “Acredito que qualquer tipo de organização tem que entender o seu mercado profundamente e isso significa no mínimo três coisas: entender e conhecer sua cultura (identidade, fortalezas e fraquezas); entender seu negócio (mercado e segmento de atuação); entender o seu cliente (quem são, o que pensam, como agem e como melhor adaptar a sua oferta à demanda).”

Mas como entender as tendências e o comportamento das pessoas?  Flávio Tófani dá a dica e ressalta: “isso se faz no dia a dia, ouvindo os funcionários, percebendo as dicas que o seu público dá, atentando para o que os concorrentes têm feito e se tornando próximo dos seus clientes”.

A panificadora Trigo Nobre, presente no bairro Floresta desde 1984, começou a perceber a importância de ações voltadas para o cliente e investiu em treinamentos para manter a equipe alinhada desde a produção até o atendimento. Para a panificadora, é importante confeccionar produtos que sejam capazes de gerar orgulho e satisfazer as necessidades do seu público com eficácia e eficiência. Marília Medeiros, sócio-proprietária do local, fala sobre a percepção dos desejos da clientela e a respeito da contínua reformulação do layout da padaria, que busca sempre valorizar os detalhes.

“Nós sempre procuramos fazer o que há de melhor para o cliente, cuidando para que ele se sinta em casa. Estamos sempre inovando e fazendo promoções diárias, atualizando o espaço e deixando o ambiente aprazível para o nosso público. E também pensamos no custo/benefício para que o cliente não saia perdendo. Como exemplo disso, para atender às necessidades de famílias menores e pessoas que moram sozinhas, passamos a produzir monoporções e embalagens reduzidas”, diz Marília.

Ela ainda nos conta como fazem para ouvir a voz do seu público e sobre as ações realizadas visando a máxima satisfação. “Estamos aqui 17 horas por dia e treinamos nossos colaboradores, que são nossos olhos e ouvidos, para atender da melhor maneira possível”. Marília revela que já tiveram caixa de sugestões como ferramenta para ouvir o cliente, mas desativaram-na devido ao espaço que ocupava e por outro simples e importante motivo: perceberam que, para o seu empreendimento, as melhores ferramentas para sondar e reconhecer as necessidades dos seus clientes eram nos olhos e ouvidos de quem lida diariamente e continuamente com o público. Daí o investimento em treinamentos e qualificações como fator essencial. Uma simples conversa e um pouco de atenção podem revelar o grau de satisfação e até mesmo novas demandas.

Segundo ela, a equipe faz cursos para aperfeiçoar técnicas e posturas. “São cursos de gerenciamento e treinamento de atendentes. Nós, proprietários e administradores, também estamos sempre frequentando palestras e viajamos muito em busca de novas ideias. Damos valor à equipe e ela se torna nossa maior aliada”, completa Marília.

Cada cliente é diferente

É preciso adequar o mix de produtos à realidade de cada público. O grande desafio para alcançar bons resultados é a legitimação dos benefícios das ações pelo próprio consumidor. Veja abaixo alguns meios e ferramentas para medir o grau de satisfação do seu público.

Caixa de sugestões

Ferramenta utilizada para colher críticas, ideias e sugestões, cuja principal finalidade é a melhoria dos serviços prestados. A partir daí pode-se conhecer pontos que não estejam satisfazendo a clientela ou até mesmo aquelas coisas que precisam de meros retoques. Avalie se é interessante ativar a caixa de sugestões no seu estabelecimento. Escolha o tamanho e local apropriado, divulgue e incentive a participação do público. É importante dar retorno aos clientes para concretizar a efetividade da ferramenta.

Cliente Oculto

Também chamado de cliente misterioso, o cliente oculto é uma ferramenta utilizada para fazer pesquisa de mercado e medir a qualidade do atendimento, levantando informações relevantes para a empresa contratante. Os clientes ocultos são imparciais e se apresentam como avaliadores que se passam por clientes comuns para comprar um produto. Fazem perguntas e observam o comportamento quando fazem alguma reclamação, etc. Ao final, a empresa tem um relatório sobre a experiência desse avaliador. Existem empresas especializadas que oferecem este tipo de serviço.

Entre na rede! A internet oferece recursos que estão ao seu alcance.

Site

Os custos de páginas na internet são variáveis, oferecendo desde versões acessíveis e gratuitas, até as mais elaboradas e pagas. É interessante buscar ajuda de profissionais da área para formatar o layout, estabelecer uma boa arquitetura de informações, redigir e adequar o conteúdo de modo claro e objetivo. Sua página na internet pode conter um espaço para sugestões online e apresentar informações de contato. Vale lembrar que quando se divulga um número de telefone e endereço de e-mail, é preciso ficar atento para monitorar e dar retorno aos clientes. Para obter bons resultados, é preciso utilizar os meios e ferramentas da maneira correta. Não basta ter ou dizer que tem, use os recursos a favor do seu negócio. Ouça, repare nos detalhes e dê retorno!

Interaja nas redes sociais

As redes sociais são canais de comunicação gratuitos que permitem maior interatividade com os usuários. Através delas é possível estabelecer relacionamento com os clientes, fazer promoções, publicar enquetes, divulgar produtos e serviços. É um meio excelente para estreitar laços, ter feedback direto do seu público e conhecer melhor o perfil dos seus consumidores. Dentre as mais conhecidas estão o Facebook, o Twitter, Orkut, Google + e YouTube.

Mas não basta apenas criar uma conta nas redes sociais, é preciso cuidado para monitorar as publicações, ser condizente com o que se diz, ouvir o que o cliente tem a dizer e ter pessoas capacitadas para responder dúvidas e reclamações. Afinal, o que é postado (inserido na página) poderá estar à disposição dos visitantes e demais usuários. Ou seja, sua marca estará em evidência. Saiba como se comportar e saia ganhando!

Pesquisa de opinião

Por meio de uma equipe antenada e preparada é possível realizar ações cotidianas que podem lhe orientar quanto aos desejos e necessidades de novos produtos, mudanças, reparos e investimentos.  A pesquisa de opinião possibilita estimar demandas. No momento em que o cliente vai ao caixa para pagar, simples perguntas podem trazer informações relevantes. Instrua seus funcionários para indagarem informalmente ao cliente sobre o que ele gostaria de ver no seu empreendimento, o que mais gosta, ou que não encontrou etc. Faça um relatório diário com essas anotações e use-as para otimizar e surpreender seu público. Por exemplo, se uma grande parte dos clientes pediu um novo produto e agora você o oferece, apresente a novidade e agradeça pela sugestão!

_____________________

http://www.amipao.com.br/revista/revista_agosto_2012.pdf

Matéria publicada na editoria Marketing da Revista Amipão 103

Redação – Nanda Soares